• pauloalcantara65

Lindos lugares para pedalar no exterior

Pedalar agora é moda no nosso país... na verdade o hábito de andar de bicicleta (sinônimo e tradução de “bike” do inglês) é muito antigo, mas nos últimos anos se tornou mais disseminado no nosso país por conta das vias e faixas que foram criadas nas cidades brasileiras, possibilitando passear de bicicleta, principalmente nas cidades, com mais segurança . O respeito ao ciclista, por parte dos motoristas, também é bem maior do que se verificava antigamente. Em países mais avançados, a importância dada ao ciclismo urbano já é realidade há décadas, mas somente agora as cidades brasileiras acordaram!

Para um passeio seguro e agradável existem muitos lugares no mundo, com boa infraestrutura de apoio, trilhas bem desenhadas, além de lindas paisagens. Conheçam agora algumas das melhores opções no exterior:

Route Verte, Canadá

A "Route Verte", no Canadá é uma das mais visitadas do país pelo seu trajeto fácil, bem sinalizado e capaz de ligar inúmeros locais interessantes para os visitantes. O percurso tem aproximadamente 4.000 quilômetros e corta em duas partes a região de Quebec, de leste a oeste. Há rios, vales e muitos bosques ao longo do trajeto. Para visitar o local e se programar para a viagem, é possível checar o site www.routeverte.com. Bem sinalizada, é fácil de seguir e inclui entradas para lugar interessantes. O terreno e as vistas variam imensamente, de calma regiões às margens do rio St. Lawrence, até belas vista das montanhas na região dos Laurentides, Route Verte (Canadá).



Route du Comte Jean, entre a Bélgica e a França

Entre a Bélgica e a França, a "Route du Comte Jean" tem quase 220 quilômetros. A estrada costeira começa em território belga e segue até o norte do país vizinho e foi dedicada ao Comandante Jean, general flamengo que viveu no século XIV. Por causa dos fortes ventos, é indicada para quem já tenha alguma experiência em ciclismo de montanha. Apesar das dificuldades, ela permite admirar as belíssimas paisagens de Grand e de Oostende, passear em vilarejos característicos de pescadores e marinheiros e atravessar os famosos vinhedos de Antuérpia. Oficialmente, a pista é dividida em 16 etapas que devem ser percorridas em seis dias. De Bruges na Bélgica, entrando no norte da França. Informações em www.visitbelgium.com.

Foto: Jeff Pachoud/AFP

Carretera Austral, Chile

Apesar de não ser exclusivamente para ciclistas, a "Carretera Austral", no Chile, é um dos melhores percursos em belezas naturais. Cortando o Chile até a Patagônia argentina, a estrada tem mais de 1.200 quilômetros e é amada também pelos motociclistas. Essa é uma das opções para os mais aventureiros, já que as condições meteorológicas são bem adversas: frio e muito vento durante a travessia.

A rota sai da cidade de Puerto Montt no centro do país, descendo pro sul até Villa O’Higgins no norte da Patagônia, com várias travessias de “ferryboat” ao longo do caminho. Você passa por lindas paisagens selvagens e parques nacionais. Saiba mais em www.gochile.cl.


Vista de mirante na Carretera Austral, que corta a Patagônia chilena:

Foto: Heloisa Helena Lupinacci/Folhapress

Avenue Verte, entre a França e a Inglaterra

Entre Paris e Londres, o “Avenue Verte” é um caminho muito bem elogiado pelos ciclistas. As ciclovias francesas se unem às inglesas e formam um percurso de 400 quilômetros, fácil para qualquer perfil de ciclista. O caminho passa por bosques e segue os antigos trilhos ferroviários que existiam na região.

É possível partir de qualquer uma das capitais e admirar castelos, catedrais e vilas pelo caminho. A pista foi inaugurada em 2012. Vindo de Londres, a travessia do Canal da Mancha é feita via o serviço “Transmanche Newhaven-Dieppe”, desembarcando na Normandia. Sítio oficial: avenuevertelondonparis.co.uk.


Foto: Site oficial

Area 24, Itália

Na Itália, a "Area 24" de San Remo, na Riviera Italiana, é um dos mais bonitos. Com mais de 20 quilômetros de pista, é possível conhecer a região da Ligúria de uma maneira diferente. O trajeto foi construído sobre os antigos trilhos de uma ferrovia que ligava as cidades de Ospedaletti e San Lorenzo, ao longo da trilha Gênova-Ventimiglia. O roteiro é feito sempre próximo ao mar e se pode acessar facilmente algumas pequenas praias. No percurso, também há vários locais para alimentação e lojas de acessórios e consertos de bikes. Site oficial: www.area24spa.it.


Donauradweg, Áustria

A Áustria também possui a "Donauradweg", a ciclovia ao lado do Danúbio, o segundo rio mais longo da Europa e que atravessa diversas nações. O caminho é fácil de percorrer e muito bem sinalizado. O trajeto é completamente percorrível de bicicleta da fonte de Donaueschingen até o delta do mar Negro, entre Romênia e Ucrânia. Todavia, o caminho mais panorâmico e frequentado é o que liga Passau, na Baviera, a Viena. São mais de 150 quilômetros que podem ser completados em diversas etapas e que passam por castelos, monastérios, vilas e paisagens encantadoras. Para mais informações: www.donauradweg.at/en/danube-cycle-path.html.

Foto: Tourismus Erber

Munda Biddi, Austrália

Com quase mil quilômetros, a "Munda Biddi", na Austrália (oeste), percorre a parte ocidental do país: de Mundaring para Albany.

Com nove etapas que contam com uma paisagem diversa, o trajeto é difícil, mas muito bem sinalizado. É frequentado pelos amantes da mountain bike e também por motociclistas.

O nome da trilha significa "o caminho que atravessa a floresta" e é possível visualizar áreas florestais que não foram tocadas pelo homem. Há ainda a possibilidade de começar a pedalar em qualquer uma das etapas estabelecidas e há diversos campings e locais de apoio para os aventureiros. Para saber mais: www.mundabiddi.org.au. Trecho entre Jarrahdale e Nangada da rota "Munda Biddi", na Austrália:


Foto: Munda Biddi

Caminho de Valtellina, Itália

Já o "Caminho de Valtellina" possui 80 quilômetros e pode ser percorrido em um dia pelos mais resistentes. Na região dos Alpes da Lombardia, o trajeto segue das cidades de Colico e Tirano, na Itália. O itinerário é asfaltado em quase toda a sua totalidade e cruza numerosas vilas onde é possível se hospedar. Site Oficial: www.altavaltellinabike.it.


Pacific Coast, entre o Canadá e os Estados Unidos

Apesar de não ser especificamente ciclística, a "Pacific Coast" entre o Canadá e os Estados Unidos oferece uma quantidade incrível de panoramas. Saindo de Vancouver e com destino a Los Angeles, o passeio tem mais de duas mil milhas e mistura cenários de praia com paisagens montanhosas. As etapas podem ser feitas de acordo com a vontade do ciclista, que encontra várias opções de hospedagem pelo caminho.

Starry Night Cycle Path, Holanda

Para quem busca um caminho curto e tranquilo, a "Starry Night Cycle Path", na Holanda, é ideal. Com apenas dois quilômetros de extensão, ela fica completamente iluminada à noite graças aos painéis de energia solar. Inspirada no artista Vincent Van Gogh, o traçado foi inaugurado em homenagem aos 125 anos do aniversário da morte do gênio holandês. A pavimentação conta com milhares de luzes verdes e azuis que acumulam energia durante o dia e à noite, por oito horas, criam um percurso belíssimo e de sonho para os amantes das duas rodas. Sitio oficial: http://www.vangoghbrabant.com/en/van-gogh-2015/cycle-path.

Foto: Daan Roosegaarde

Alpe Adria Radweg, entre a Áustria e a Itália

Já a "Alpe Adria Radweg", que liga a Áustria e a Itália, é considerada uma completa rota de férias. Partindo de Salzburgo, a cidade de Mozart, percorre-se trajetos alpinos até Grado, no território italiano. É uma pista desafiadora, bem sinalizada, com numerosos pontos de descanso e de pernoite e que oferece a possibilidade de fazer parte do percurso de trem.

Foto: SalzburgerLand Tourismus

Fontes: Agência ANSA, Folha de São Paulo

1 visualização